terça-feira, outubro 25, 2005

Béria-VI


Com o projecto da bomba nuclear, Béria estava aparentemente no auge do seu poder. Entre ele e Estaline, não existia nenhuma adversário poderoso, o que o tornava a segunda figura mais poderosa efectivamente (mesmo que não no estado soviético ou na aparência do poder - nas fotografias ele aprece sempre em 4 lugar ou ainda numa posição mais discreta). Ora o mecanismo que ele tão bem utilizara contra outros, começava a virar-se contra ele: Estaline começou a suspeitar dele. Mas ou por medo, ou porque precisasse dele, Estaline não o mandou prender. Começou lentamente a retirar-lhe cargos, a afastar os sequazes de Béria de cargos-chave, a utilizar outras figuras. Manobrando habilmente, Béria conseguiu eliminar alguns adversários. Mas o cerco aproximava-se. A perseguição que foi efectuada contra numerosos judeus detentores de cargos políticos, atingiu Béria que os protegera (por oposição a Krutschev que os detestava).
No seu último ano de vida, Estaline ainda estava mais paranóico (1953): mandou prender os diferentes médicos que o tratavam há vários anos (e aparentemente preparava-se para efectuar uma purga nessa profissão com o pretexto de conspiração a soldo dos estrangeiros), e mandou executar o seu guarda-costas de há 20 anos. Curiosamente, parece que ia efectuar também uma purga dentro do partido comunista e para tal ia usar Béria (talvez por isso o tivesse poupado).
Ora numa bela manhã, Estaline morreu. Ainda se ignora os pormenores dado existirem versões contraditórias, mas parece que os seus guarda-costas ao fim de algumas horas da madrugada suspeitaram que algo não estava bem, entraram, viram-no caído e em vez de chamar um médico, chamaram os superiores hierárquicos. O tempo de se juntarem todos, decidir o que fazer, até se decidirem a chamar um médico, levou a que Estaline (que sofrera uma hemorragia cerebral) estivesse sem cuidados médicos. Se alguns pretendem que os líderes estavam a ver se ele morria (deixando a natureza seguisse o seu curso), outros dizem que teria sido medo genuíno e incapacidade de reagir perante o que fazer com o Chefe que os paralisou. Quando se aperceberam que estava a morrer, começaram imediatamente a fazer contactos e procurar apoios. Morto Estaline, podia começar a luta pelo poder.

2 comentários:

Anónimo disse...

I was just browsing and found your blog. Very Nice! I have a hypertension remedies site. It covers everything about hypertension remedies as well as diabetes care, complications, treatment and insulin. You'll find it very informative. Please visit, check it out and enjoy!
Rod

M&D disse...

É caso para dizer: Glory to the Stalin.