quarta-feira, outubro 19, 2005

Ptolomeu VIII Evergeta II (145-116)


Foi um dos soberanos da dinastia Lágida (da mesma dinastia que a famosa Cleópatra). Era filho de Ptolomeu V e irmão de Ptolomeu VI; associado ao trono do seu irmão, conspirou e destronou o seu irmão, mas tornou-se tão impopular que acabou por ser por seu turno destronado. Quando o seu irmão morreu, sucedeu-lhe, casou com a viúva Cleópatra II (que por acaso era irmã dos dois). Rapidamente Ptolomeu VII matou o filho da sua irmã (que era sobrinho pelos dois lado). Teve um filho da sua irmã, casou com uma filha dela (Cleópatra III), mas rapidamente uma revolta liderada pela irmã levou ao seu exílio; ordenou então que o filho que tivera com a irmã (ainda com uns 12 anos) fosse cortado aos bocados e enviado à irmã. De depois de uma série de complicações, pedidos de ajuda aos romanos, o casal teve de se reconciliar e viverem os 3 juntos (Ptolomeu VIII, Cleópatra II e a III).
Grande número de intelectuais da biblioteca de Alexandria e os judeus que tinham sido beneficiados pelo seu irmão tiveram de fugir (executando grande número dos que ficaram). Ordenou que várias manifestações da população de Alexandria fossem reprimidas; ordenou também a execução dos partidários do seu irmão ou que suspeitasse de deslealdade.
Terminados os anos de guerra e confusão, esforçou-se por administrar o país, e repor a normalidade com a irmã (mantendo as execuções de suspeitos). As suas medidas na economia parecem ter dado algum resultado. A população indígena apreciava-o (nos conflitos com a irmã ficaram sempre do lado dele), pois fez leis para os proteger dos abusos dos funcionários embora os greco-macedónios o detestassem. Mas o caos em que mergulhou o país nos primeiros anos e a sua vida privada, deixaram uma visão negativa para os historiadores.

3 comentários:

Anónimo disse...

Com tanto casamento fraternal, os filhos deviam ser todos muito lindos.
Jorge

Parca disse...

O Lágidas sofriam de obesidade. Com todo esse incesto, os genes só se deviam reforçar.

Filipe Alves disse...

É notório que os melhores governantes (leia-se os mais eficazes...) da dinastia lágida foram precisamente os tinham ascendência mais variada, como foi o caso da última Cleópatra (neta ou bisneta do rei do Ponto).