segunda-feira, setembro 27, 2004

Perseguições

Nas vésperas da II Guerra Mundial, Estaline interrogava-se sobre o possível perigo que representaria a comunidade alemã na URSS de quase um milhão de pessoas, no caso de uma invasão nazi. Béria (chefe do NKVD, futura KGB) decidiu colocá-los à prova: enviou perto de 6000 agentes disfarçados de espiões alemães. Só menos de 10, não foram denunciados; concluí-se que a comunidade alemã representava um perigo e decidiu-se deportá-los. para a sibéria. Estando aí, achou-se que eles não representavam perigo e foram deixados no meio da tundra (sem alimentos ou abrigos- existem de facto coisas piores do que ser internado num campo de concentração). Boa parte deles morreu no primeiro inverno. Os sobreviventes dos descendentes estão actulamente a emigrar para a Suiça alemã (o único país que lhes reconhece o estatuto de etnia germânica). Para a próxima, conto uma estória sobre os E.U.A. para equilibrar as coisas.

3 comentários:

Idanhense disse...

O blog é capaz de ter perdido na cor, mas ganhou em clareza, pelo menos para mim que já posso ler os textos. Desculpem ter protestado duas vezes, embora educadamente. Mas se os chateei foi por gostar de ler os vossos textos. Obrigado.

Idanhense disse...

O blog é capaz de ter perdido na cor, mas ganhou em clareza, pelo menos para mim que já posso ler os textos. Desculpem ter protestado duas vezes, embora educadamente. Mas se os chateei foi por gostar de ler os vossos textos. Obrigado.

RS disse...

Já tinhamos tido várias queixas sobre o fundo do blog. O mínimo que podiamos fazer pelos nossos leitores era permitir-lhes lerem-no!
Obrigado a todos os que, apesar da demora, não desistiram.