quinta-feira, outubro 07, 2004

Kepler

Este fim-de-semana estive a ler umas coisas sobre Kepler (1571-1630). Levou uma vida conturbada (também o séc. XVII não foi uma época fácil). Estudou na universidade, deu aulas (embora tivesse poucos alunos), trabalhou com o mais famoso astrólogo da época (Tycho) que também se dedicava à observação astronómica, mas por ser protestante, acabou mais tarde por ter de abandonar a corte imperial, com o progressivo endurecimento face aos protestantes. A mãe que ganhava a vida a fazer umas mezinhas quase que ia sendo queimada por bruxaria; uma falha no procedimento legal da aplicação da tortura foi o que a salvou. Dedicando-se à astronomia e usando a matemática, acabou por recusar o sistema preconizado por Ptolomeu (uns bons 1500 anos antes) utilizando o de Copérnico, criando as 3 leis de Kepler. No final da vida ganhava a vida a fazer horóscopos a Wallenstein, o melhor estratega católico na época da guerra dos 30 anos.

4 comentários:

Anónimo disse...

Mas o Wallenstein não perdeu?
Logo isso prova que o Kepler era um astrólogo muito incompetente.

Parca disse...

Wallenstein perdeu uma batalha contra o rei da Suécia... em que este foi morto. Depois, ficou com as mãos livres e derrotou por várias vezes os protestantes, até ser assassinado pelo seu imperial patrono, o imperador.

Anónimo disse...

Há um episódio fantástico do Cosmos de Carl Sagan dedicado quase todo a esse assunto. Um must para quem se interessa por esses assuntos.

Pedro
http://cinemaxunga.blogspot.com

Parca disse...

Eu já não me lembro muito da série, mas tenho o livro para me relembrar.