quinta-feira, março 23, 2006

Cleómenes

Alguns anos depois, o rei Leónidas morreu e sucedeu-lhe o filho Cleómenes (casado com a viúva de Agis). Ora sendo este ainda criança quando casou, a mulher passou os primeiros anos a contar-lhe os feitos do seu falecido marido. Chegado à idade adulta, Cleómenes decidiu aplicar o programa de Agis. Para evitar ter um destino semelhante, decidiu fazer um golpe (Agis tivera sempre a preocupação de agir dentro da lei e evitar atacar quem quer que fosse e a sua execução sem julgamento foi ilegal), executando os éforos e banindo um número de cidadãos que se poderia opor a si. Distribuiu as terras, e criou cerca de 4000 novos cidadãos. Reformou o velho exército hoplita, copiando a falange macedónica. Mas entrou em conflito com uma liga (a liga Acaia), que via com maus olhos o novo governo revolucionário a fortalecer a velha cidade odiada. Cleómenes infligiu-lhes várias derrotas sendo acolhido como libertador por várias populações que esperavam que as medidas que tinham sido aplicadas em Esparta, o seriam noutros locais. Aratos, o principal chefe da liga, acabou por ter de pedir ajuda ao seu até então maior inimigo, o rei da Macedónia. Este que fora expulso de boa parte da Grécia por Aratos, entrou imediatamente na Grécia e com um exército superior bem treinado, equipado e alimentado derrotou o exército de Cleómenes (a batalha foi bastante sangrenta, morrendo grande parte dos novos cidadãos). Cleómenes teve de fugir e refugiou-se no Egipto que lhe fornecera subsídios durante algum tempo. Mas aborrecido com as intrigas da corte e com a inacção tentou com uns companheiros uma revolta que correndo mal, levou ao suicídio colectivo.

1 comentário:

M disse...

...