quinta-feira, março 16, 2006

Amor e sangue

Há uns anos atrás vi um filme chamado amor e sangue. O realizador era o Paul Verhoen (realizador do robocop), mas o filme surpreendeu-me bastante.
O filme passa-se em 1500, sem uma localização exacta, mas dá-nos pistas para provavelmente ser em Itália. Um príncipe que foi expulso da sua cidade, está com um exército de mercenários a retomá-la. Assistimos ao cerco e ao saque. Às tantas o príncipe apercebe-se que os mercenários não lhe vão deixar grande coisa da cidade, e com uma guarda fiel, obriga os mercenários desorganizados a abandonar a cidade sem nada. Estes dispersam-se, mas um grupo decide vingar-se. Aprisionam com um golpe de sorte a noiva do filho do príncipe e depois de uma série de peripécias, os mercenários são massacrados, a noiva reencontra-se com o seu noivo e os nobres acabam bem.
O que me agradou neste filme, foi o facto de não haver “bons”. Todos são cúpidos, cruéis, traiçoeiros e corajosos ao extremo ou cobardes conforme as situações (o filme nesse aspecto parece do Sérgio Leone, para pior). O personagem principal (um dos chefes dos mercenários) não hesita em enganar os companheiros quando lhe interessa, inclusive a companheira que traz (eventualmente) o seu filho na barriga. O filho do príncipe embora a princípio mole, só se preocupando com os seus livros, quando tem a sua vida em jogo arranja a energias para se safar das situações. A sua noiva que ouviu demasiadas histórias de belos cavaleiros, balança-se para o lado que mais lhe convém.
Os cenários são tardo-medievais, e vemos exércitos renascentistas em toda a sua glória com os soldados, prostitutas e padres.
É um filme bastante forte, mas mais realista do que numerosas outras produções (de repente vê-me à cabeça Braveheart ou o Reino dos Céus).

9 comentários:

Filipe Alves disse...

é com o Rutger Hauer e a Jennifer qualquer coisa, não é? também gostei.

Parca disse...

Sim, esses mesmo.

Anónimo disse...

a Jennifer qualquer coisa chama-se na verdade Jennifer Jason Leigh.

Também gostei do filme.
Jorge

Filipe Alves disse...

Exacto, essa mesmo!

António disse...

Gostava de adquirir este filme em DVD. Não consigo encontrar-lo. Onde o posso arranjar?

Anónimo disse...

Um filme que retrata muito bem a crueldade e a anarquia vivida na Idade Média.

Anónimo disse...

SAI DESSA CARA!
BOM MESMO É A SÉRIE " OS TUDORS"!

ESTE FILME É UMA M...!

QUAL É CARA?

ISSO SIM É SHOW DE BOLA!( OS TUDORS)

ESTE FILME É UMA MER...!

VEJAM A SÉRIE OS TUDORS SEUS BABANCAS!

(BRÁSILERO LÁ DO BRÁSIL.)

Anónimo disse...

AMOR? MAS ESTAMOS A FALAR DO ROMEU E JULIETA OU QUÊ?

ESTE FILME É CHOCANTE E É SÓ VIOLÊNCIA!

NESTE FILME HAVIA DE TUDO MENOS AMOR!

POR AMOR DE DEUS, ENTÃO A RAPARIGA DO FILME FOI VIOLADA,E QUANTO A MIM ISSO É CRIME!

QUERIAM QUE ELA SE APAIXONASSE POR UM VIOLADOR QUE A VIOLOU? TENHAM DÓ!

PARA MIM, SEJA EM FILMES, OU NA REALIDADE, SÓ HÁ UMA COISA A FAZER COM
OS VIOLADORES DE MULHERES,CRIANÇAS, OU DE BÉBÉS: PENA DE MORTE!

ISSO SIM É QUE ERA JUSTIÇA,POIS QUANTO A MIM, QUEM VIOLA, SÃO UNS PORCOS, QUE NEM TÊM DIREITO DE VIVER!

NÃO IMPORTA SE FOI NA IDADE MÉDIA, OU AGORA NO SÉCULO XXI, PARA MIM VIOLAÇÃO É CRIME, E A MIM NINGUÉM ME FAZ PENSAR O CONTRÁRIO.

ACHO QUE VOCÊS DEVIAM DE REVER OS VOSSOS
VALORES MORAIS ETC!

Anónimo disse...

QUE MERDA DE FILME.

A SÉRIE HISTÓRICA OS TUDORS É QUE É FANTÁSTICA E MUITO BOA.

ANÓNIMA